CLAUDIA KLAGES

Estudo e pratico yoga desde 1999, uma paixão à primeira vista que desde sempre reuniu em mim a segurança de que seria uma relação a longo prazo

 Na procura de aperfeiçoar os conhecimentos viajei e pratiquei com inúmeros professores na Europa e no Brasil.  Em 2008 iniciei a formação de yoga com o Pedro Kupfer e convidados, terminando em 2009 em Portugal. A partir daqui foi um ponto de viragem, um marco profundo neste percurso ao qual estarei sempre grata ao Pedro. Com o  seu jeito especial e amigo levou-me a querer saber mais sobre a vida de yoga, apontando também a outros professores e mestres como Swami Dayananda Saraswati, a Professora Glória Arieira e o Miguel Homem, uma fonte de luz e conhecimento que até hoje me acompanham.

Desde então, 2009, dedico-me a ensinar Hatha Yoga nas suas diversas vertentes. Segundo a tradição de Krishnamacharya, tendo no vinyasa yoga e no iyengar yoga as bases de inspiração para as minhas aulas e prática pessoal.

Em 2018 concluí a Formação de Yoga com o Miguel Homem e convidados, uma jornada magnifica de dois anos, onde tive o privilégio de estar com aqueles que ainda hoje ecoam suas palavras e ensinamentos em mim. Nomeadamente Simão Monteiro, um amigo de vida, Billy Konrad e Tomás Zorzo. Incompleto seria se não referisse outros nomes que tanto enriqueceram este percurso como professora e eterna aluna, são eles o professor Hermógenes, Maty Ezraty, Lois Steinberg e o Zain Seyd.

Ao longo dos anos diferentes assuntos ocuparam um lugar para a aprendizagem pessoal, o estudo dedicado ao Ayurveda sob os conhecimentos do professor Vasant Lad e a Alimentação saudável e consciente com Gabriel Mateus. Em 2014 finalizei o curso como Técnica de Fisioterapia e Massagista de Reabilitação, no IMT, uma resposta para a minha busca no entendimento da anatomia e biomecânica do corpo, bem como o enorme gosto pelas massagens.

Desde 2016, juntamente com o meu marido, tornei-me diretora da Casa Bhūmi, um espaço dedicado ao yoga como estilo de vida e aos princípios de sustentabilidade. Uma casa que é apenas um espelho da nossa, onde reflete a ligação e respeito pela terra, uma vida simples e com valores, com os quais pretendemos criar os nossos dois filhos.

Considero-me uma apaixonada pela vida, que não teria o mesmo gosto sem o yoga. Aqui encontrei a resposta para a compreensão de todos os contrastes, o suporte para a não dualidade, a liberdade para ser apenas o que somos. O amor.